Porque Somos Infelizes


Por:
R$ 39,90

ou 2x com juros de R$ 20,55
 
Simulador de Frete
- Calcular frete

A proposta deste livro é questionar se a infelicidade não seria inerente ao ser humano independentemente, ao menos em grande parte, das condições econômicas, sociais e culturais do momento histórico em que vive. Segundo a obra, as solicitações para a felicidade vêm sendo tão numerosas e urgentes, quase obrigatórias, que acabaram por levantar algumas questões. O direito à felicidade nasceu do anseio irreprimível de se libertar do jugo secular da precariedade da existência, da fome e da pobreza, das guerras e da destruição em massa - inclusive por parte da natureza -, que acabaram por condenar grande parte da população mundial. A infelicidade, a tristeza e a melancolia vêm sendo vivenciadas pela maior parte das pessoas como sintomas de doenças ou manchas que precisam ser eliminadas, ou ainda como resistências insuportáveis à ideia de que o progresso significa positividade absoluta, otimismo impecável ou ainda a prefiguração de uma sociedade perfeita. O preço pago por isso seria a anulação de nossas dúvidas e de nosso pensamento crítico. A vida, assim, passaria a ser uma vitrine de luzes coloridas, e a existência se transformaria em uma corrida no sentido de acumular bens materiais que compensem aquilo que acharia-se que foi perdido em termos de relações e emoções. No fim, a identidade acabaria sendo forçada a abrir mão de sua sombra, enquanto a insegurança aplacada para ceder lugar a um brilho ofuscado.

Organizador: Paolo Crepet

Tradução: Angela Rosa Tessicini

Ano: 2012 | Edição: 1º | Páginas: 200

Deixe seu comentário e sua avaliação


Características


    Confira os produtos